Crescimento físico de crianças e jovens moçambicanos, brasileiros, peruanos e portugueses: uma análise transcultural

Simonete Silva, Thayse N. Gomes, Alcibíades Bustamante, Sedigheh Mirzaei, António Prista, José Maia

Resumo


A variabilidade biológica humana é o reflexo visível da plasticidade da resposta individual aos factores do ambiente físico e cultural. Com base em amostras provenientes de quatro países, o presente estudo descreve e interpreta os valores do crescimento físico (altura, peso e índice de massa corporal (IMC)), de crianças e jovens moçambicanos, brasileiros, peruanos e portugueses. Os dados pertencem a quatro projectos de investigação desenvolvidos nestes países. A amostra final é constituida por 32.239 crianças e jovens (16.265 meninas; 15.974 rapazes), com idades entre os 7 e os 17 anos. Os resultados mostram, genericamente, que os moçambicanos e os peruanos são os mais baixos, enquanto que os portugueses são os mais altos. Crianças e jovens moçambicanos e brasileiros são os mais leves, enquanto que os portugueses, seguidos pelso peruanos, de ambos os sexos, são os mais pesados. Os moçambicanos e os brasileiros têm os valores mais baixos de IMC e os portugueses os mais elevados. Os parâmetros do salto pubertário são relativamente semelhantes nas crianças e jovens dos quatro países. Em conclusão, apesar de haver diferenças nos valores do crescimento físico, fruto de especificidades sócio-culturais, o seu padrão é semelhante nos quatro países. Acrescenta-se a similitude nas estimativas dos parâmetros do salto pubertário das crianças e jovens dos quatro países.

Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN: 2307-3896