Efeito do espaçamento entre linhas e densidade de plantas na produção da cultura de milho

Joaquim V. Uate, Renzo G. Von Pinho, Leandro L. Cancellier

Resumo


Anualmente novas cultivares de milho são disponibilizadas no mercado, intensificando-se a necessidade de pesquisas para o aumento de produtividade, dentre elas as relacionadas com a identificação de melhores formas de arranjo de plantas no campo. O estudo teve como objetivo avaliar o comportamento agronómico de híbridos de milho, submetidos a diferentes densidades de plantio e espaçamentos entre linhas. O experimento foi conduzido em Ijací/MG, onde foram avaliados quatro híbridos de milho, nas densidades de 55 mil, 70 mil e 85 mil plantas ha-1, nos espaçamentos entre linhas de 0,80 e 0,55 m. O experimento foi disposto no delineamento de blocos casualisados, num arranjo factorial, com três repetições, onde se avaliou a altura de inserção da espiga (AIE), o peso de cem sementes (PCS) e a produtividade de grão (PG) em kg ha-1. A densidade de 85 mil plantas ha-1, apresentou uma média de AIE igual a 116 cm, tendo sido superior em relação às restantes densidades avaliadas. O PCS foi influenciado apenas pelo factor híbrido, em que AG 4051 (37g) apresentou-se superior aos restantes. Na densidade de 85 mil plantas ha-1 a média da PG foi significativamente superior à obtida na densidade de 55 mil plantas ha-1 (9.680 kg ha-1). Conclui-se que há diferença no comportamento dos híbridos quanto às características avaliadas. O espaçamento de 0,55 m e densidade de 85 mil proporcionam aumento na PG.

Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .